Busca | Cadastre-se | Como Anunciar 
   
 CLASSIFICADOS
  
 Neg. & Oport.
   Empresas
   Equipamentos
   Serviços
   Outros
  
 Vagas
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Candidatos
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Cursos
  
 Vendo
  
 Doa-se
  
  
 GUIA EMPRESAS
 Adestradores
 Aquários
 Associações
 Atacadistas
 Aviculturas
 Banho e Tosa
 Canis
 Clínicas
 Consultorias
 Criadores
   Aves
   Roedores
   Reptil/Anfíbio
   Primatas
 Distribuidores
 DogSitter
 Entidades
 Fabricantes
 Gatis
 Hotéis
 Informática
 Laboratórios
 Padarias
 Passeadores
 PetShops
 Rações
 Representantes
 Serviços
 TaxiDog
  
 Lançamentos
 Reportagens
 Consultoria
 Dicas
 Veterinários
 Eventos
 Legislação
  
 Agility
 Raças
 Meu amigo Pet
 Pássaros
  
 PROMOÇÕES
 Busca
 Cadastre-se
 Como Anunciar
 Contato
  

   

CHOW-CHOW

Conta uma antiga lenda chinesa que quando foi criado o mundo, a um cão, permitiu-se lamber os fragmentos do firmamento caídos na terra ao serem as estrelas colocadas no seu lugar. Esse cão foi o Chow-Chow, é por isso que ele tem a língua azul.

A respeito da origem da raça existem várias teorias, mas uma coisa é certa ao ser considerada uma das mais antigas raças que existem.

No Tibet o Chow-Chow foi um dos cães prediletos dos monges, ali eram criados nos mosteiros para a guarda, mais tarde o povo Ainú foi o primeiro a valorizar as suas qualidades, foi usado como cão de trenó, guarda de pastoreio, de briga e até de refeição.

O nome Chow-Chow deve-se aos habitantes de Cantón, mas não é uma raça autóctone chinesa, segundo estudos provém da Sibéria e foi levado a China pelos tártaros durante as invasões.

Até épocas bem recentes o Chow-Chow foi usado na China para guarda e caça, sabemos que a nobreza Chinesa mantinha seus Chows com o máximo conforto servidos por criados que estavam a sua disposição para satisfazer-lhes qualquer necessidade.

Na China a carne de Chow-Chow se come como uma iguaria. O hábito de se comer carne de cachorro era, e segue sendo comum na Ásia. Os cães eram alimentados somente de grãos e sacrificavam-se ainda jovens aproveitando também seu pêlo para fazer roupas.

Ainda no começo do século XX os Chows podiam ser vistos na China e seus filhotes sendo vendidos normalmente nos mercados.

Pela política da China de portas fechadas, este cão só foi conhecido no Ocidente somente em torno de 1780, quando alguns marinheiros o levaram de contrabando para a Inglaterra e o exibiram no zoológico de Londres como o cão selvagem Chinês, até que a Rainha Vitoria, amante e protetora da raça, levou um exemplar com ela.

TEMPERAMENTO

Possuir um Chow-Chow ou melhor ser possuído por um, pode proporcionar prazer e satisfação sem limites, estes cães são totalmente diferentes dos cães normais, sua vida ativa é mais longa, bem alimentado e cuidado pode viver felizmente até 16 anos.

Se uma pessoa quer um cão de caráter alegre e fácil, que vai com ele a todo lado e pode deixar com o vizinho quando sai, se quer um cão expressivo que se desmancha em carinhos e pulos ao vê-lo chegar, então esta pessoa não deve escolher um Chow-Chow.

Ao dizer isto, não é intenção de taxá-la como uma raça desagradável e arisca, mas de uma raça que tem características muitos especiais.


Possui todas as qualidades de um cão de companhia junto com as peculiaridades dos cães asiáticos, ou seja, não são muito efusivos, mas reservados. São limpos ao extremo e não latem a toa. São mais introvertidos do que dados a grandes manifestações expressivas. Eles são um pouco como o povo que lhes deu origem e trabalhou sua imagem, os chineses não são um povo extrovertido, são reflexivos, enigmáticos, sábios e gentis, assim é o Chow-Chow.

Dizem que o Chow-Chow poderia deixar-se morrer pelos seus donos, isto é verdade, mas não irá mostra-lo abertamente, e capaz de ter tanta saudade deles que pode chegar a ficar muito doente e negar-se a comer se estes se ausentam por muito tempo.

No Chow-Chow encontraremos um cão fiel e apegado, mas também muito independente. Gostará com loucura de seu dono mas não o demostrará com pulos de alegria nem lambidas.

Por outro lado é bem capaz de expressar desgosto e indiferença para aqueles que não conhece ou lhe molestam, não gosta que pessoas estranhas tentem tocá-lo e as vezes poderá fugir delas, ou caso se sinta acuado rosnará para avisá-las.

O Chow-Chow é muito unido a suas coisas, adora sua mantinha, seu prato, seus brinquedos e não gosta de separar-se deles, também gosta de silêncio e tranqüilidade.

Ele é muito parecido aos gatos, não gosta de mudanças e aprecia sua independência.

APARÊNCIA GERAL

Cão ativo, compacto, bem estruturado, lombo curto, acima de tudo bem proporcional, de aspecto leonino, de porte digno e orgulhoso. A cauda é portada sobre o dorso.

CARACTERÍSTICAS

Língua de cor azul escura, calmo, bom guarda, singular pelo andar curto e saltitante.

COMPORTAMENTO

Independente, fiel porém distante.

CORES

Unicolor, preto, vermelho, azul, fulvo, creme ou branco, freqüentemente com tonalidades, mas sem manchas ou de cores diversas, sob a cauda e na face posterior das coxas a cor é normalmente mais clara.

 
 


Os cães fotografados nesta página são de propriedade de
Shambala Kennel
Tel.: (011)3743-0682


Esta página é de responsabilidade de Maria Gloria Romero.
Proprietária do Shambala Kennel, juiza Internacional e atual presidente do Poodle Clube Paulista.
Fone: (011)3743-0682 - shambala@globo.com
http://www.shambala.vet.br.