Busca | Cadastre-se | Como Anunciar 
   
 CLASSIFICADOS
  
 Neg. & Oport.
   Empresas
   Equipamentos
   Serviços
   Outros
  
 Vagas
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Candidatos
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Cursos
  
 Vendo
  
 Doa-se
  
  
 GUIA EMPRESAS
 Adestradores
 Aquários
 Associações
 Atacadistas
 Aviculturas
 Banho e Tosa
 Canis
 Clínicas
 Consultorias
 Criadores
   Aves
   Roedores
   Reptil/Anfíbio
   Primatas
 Distribuidores
 DogSitter
 Entidades
 Fabricantes
 Gatis
 Hotéis
 Informática
 Laboratórios
 Padarias
 Passeadores
 PetShops
 Rações
 Representantes
 Serviços
 TaxiDog
  
 Lançamentos
 Reportagens
 Consultoria
 Dicas
 Veterinários
 Eventos
 Legislação
  
 Fórum
 Agility
 Raças
 Meu amigo Pet
 Pássaros
  
 PROMOÇÕES
 Busca
 Cadastre-se
 Como Anunciar
 Contato
  

   

Dogue de Bordeaux

A origem do Dogue de Bordeaux é bastante controversa.

Estudiosos da raça acreditam que o Bordeaux sejam descendentes dos Alanos, cães molossos de origem indo-européia.

Há quem siga a linha que eles sejam originários de cruzamento entre Mastiffes e Buldogues Ingleses.

Inicialmente chamado de Dogues da Aquitânia, eram muito conhecido por lá, onde foram utilizados como cães de guarda, caça de animais grande como javali e ursos, e também como cães de rinha.

Os primeiros Dogues de Bordeaux foram apresentados ao público em uma exposição canina em 1863, em Paris.

A raça sofreu com a ausência de um padrão, o que gerou tipos diferentes de peso e pelagem (presença de máscara negra).

Em 1926, os diferentes tipos foram solucionados, com a aceitação da mascara negra e a classificação baseada em dois tipos físico: Os Dogues com peso mínimo de 50 kg para machos, e 45 kg para fêmeas, e um tipo menor, denominado Doguim, de 40 a 50 kg para machos e de 35 a 45 kg para as fêmeas.

No ano de 1970, o tipo Doguim foi excluído.

A raça Dogue de Bordeaux é reconhecida exclusivamente pela FCI - Federação Cinológica Internacional.

Com a proibição das lutas e rinhas diminuiu muito o interesse por estes cães, contribuindo muito para a diminuição de seu plantéu, mas eles correram o risco de desaparecer depois das Duas Grandes Guerras, e só foram salvos da extinção na Europa, porque a França importou exemplares dos Estados Unidos.

A partir daí, foi espalhando pelo mundo, ficando mais conhecido, depois de participar do filme uma Dupla Quase perfeita.

No Brasil a raça não é muito conhecida.

SAÚDE

Como a maioria das raças de grande porte o Dogue de bodeaux, pode ter displasia Coxo-Femural.

Dermatites, devido a quantidade de rugas pode acumular sujeira e umidade.

Problemas cardíacos: normalmente de origem genética, atribuídos ao fato do cruzamento entre exemplares de linhagem muito próximas, na tentativa de salvá-los da extinção.

Torção gástrica: anormalidade muito comum em cães de grande porte com peito profundo.

FILHOTES

O proprietário ideal além de ter experiência com cães precisa dedicar-se a educação do filhote, precisa ter pulso firme, sem agredir o animal.

É uma raça que precisa crescer sabendo quem manda. São cães de crescimento rápido, que chegarão aos 50 kg com muita facilidade, devem ser mantidos em locais de piso rústico, evitando escorregões.

Por ser um cão muito musculoso e com rápido ganho de peso, uma ração de qualidade e exercícios diários são indispensáveis para que se desenvolva com uma estrutura saudável, o ideal são 40 minutos por dia.

Esta raça não pode ser mantida em local muito pequeno.

PERSONALIDADE

O Dogue de Bordeaux moderno, não é um cachorro agressivo como antigamente, geralmente atacam como último recurso.

Não latem em excesso, não fazem muita festa e são cães que adoram brincar e principalmente o contato com a família.

Apesar destas características, são muito dominantes, tornando praticamente impossível a convivência entre dois machos, as fêmeas são mais tolerantes.

Na guarda, não são cães que fazem ronda, geralmente ficam em um local onde tem uma melhor visão do seu território, dando alarme quando alguma coisa sai da rotina.

Para quem deseja um cão que ataque um provável invasor, convém adestra-lo, mas seu uso ideal é como guarda pessoal, por sentir-se muito seguro na presença dos familiares.

Esta página é de responsabilidade de Douglas Pereira Martins.
Proprietário do Power Lifting.
São Paulo/SP.
Tel. (11)6958-9508.
E-mail: martins-douglas2005@ig.com.br.