Busca | Cadastre-se | Como Anunciar 
   
 CLASSIFICADOS
  
 Neg. & Oport.
   Empresas
   Equipamentos
   Serviços
   Outros
  
 Vagas
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Candidatos
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Cursos
  
 Vendo
  
 Doa-se
  
  
 GUIA EMPRESAS
 Adestradores
 Aquários
 Associações
 Atacadistas
 Aviculturas
 Banho e Tosa
 Canis
 Clínicas
 Consultorias
 Criadores
   Aves
   Roedores
   Reptil/Anfíbio
   Primatas
 Distribuidores
 DogSitter
 Entidades
 Fabricantes
 Gatis
 Hotéis
 Informática
 Laboratórios
 Padarias
 Passeadores
 PetShops
 Rações
 Representantes
 Serviços
 TaxiDog
  
 Lançamentos
 Reportagens
 Consultoria
 Dicas
 Veterinários
 Eventos
 Legislação
  
 Agility
 Raças
 Meu amigo Pet
 Pássaros
  
 PROMOÇÕES
 Busca
 Cadastre-se
 Como Anunciar
 Contato
  

   

Judy


HOMENAGEM

Eu nunca entendi o motivo de minha filha ter escolhido esse nome para você. Tanto nome mais pomposo por aí e ela foi escolher logo esse? Nem parece nome de cão de raça, menos ainda de uma legitima cadela pastor alemão...

Carati do Vento Selvagem era muito mais solene. Esse era seu nome nos registros mas, fazer o quê? Filha da gente pode tudo e seu nome foi dado por ela... Ficou sendo Judy, mesmo.

Lembro das "pauladas" que tomamos para aprender o que fazer para criarmos você direito. Nunca esquecerei das tantas (e bota "tantas" nisso) rações que lhe demos, já que você não se habituava a nenhuma.

Eu até dizia sempre que era dono da única cadela com anorexia do mundo... Até descobrirmos que do que você gostava mesmo era arroz, carne e legumes, com um pouco de ração.

Aí foi uma beleza, você só fez engordar e ficar bonita.

Como não a criamos para ser um cão de guarda, e também por não termos dinheiro suficiente, nunca a adestramos. Então, a não ser pela sua "bolinha" que você corria para pegar, não fazia nada diferente do que um (porque não dizer?) vira-latas fazia...

E você lá, crescendo a cada dia. Ao abrirmos a porta de casa, pela manhã lá vinha você, pedindo a cota matinal de carinho. E tome carinho, que era disso que você mais gostava.

Graças a Deus nunca precisamos que você mostrasse seus dotes de protetora, mas tenho certeza que se um dia tivéssemos precisado, você não nos decepcionaria. A Placa de "CUIDADO COM O CAO" que temos em casa servia mais pra maquiagem do que pra alertar os outros do "perigo" que você oferecia.

E foi assim, sem oferecer perigo pra ninguém que acabou comendo aquilo.

Que droga, Judy, você nem deu tempo pra gente perceber... Quando vimos já era tarde...

Sua dona era a Ana Carolina. Mas eu vou te contar um segredo: eu sei que no fundo, no fundo você gostava mais, mesmo, era de mim.

E olha, agora que você partiu eu te digo: eu nem tinha idéia do quanto gostava realmente de você. Perder você foi doído como ter perdido meu melhor amigo. Melhor dizendo, minha melhor amiga.

Detesto ter de admitir, mas chorei feito criança no caminho de casa.

Ter de sacrificá-la foi a única saída que tivemos. Seu sofrimento seria muito maior do que foi se não o fizéssemos.

E hoje eu entendo o motivo do seu nome. Na inocência de toda criança a Ana Carolina escolheu o único nome que servia certinho pra você.

Judy... Pra mim, significa melhor amiga.

Que saudade!!!!

Wladimir Rodrigues