Busca | Cadastre-se | Como Anunciar 
   
 CLASSIFICADOS
  
 Neg. & Oport.
   Empresas
   Equipamentos
   Serviços
   Outros
  
 Vagas
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Candidatos
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Cursos
  
 Vendo
  
 Doa-se
  
  
 GUIA EMPRESAS
 Adestradores
 Aquários
 Associações
 Atacadistas
 Aviculturas
 Banho e Tosa
 Canis
 Clínicas
 Consultorias
 Criadores
   Aves
   Roedores
   Reptil/Anfíbio
   Primatas
 Distribuidores
 DogSitter
 Entidades
 Fabricantes
 Gatis
 Hotéis
 Informática
 Laboratórios
 Padarias
 Passeadores
 PetShops
 Rações
 Representantes
 Serviços
 TaxiDog
  
 Lançamentos
 Reportagens
 Consultoria
 Dicas
 Veterinários
 Eventos
 Legislação
  
 Agility
 Raças
 Meu amigo Pet
 Pássaros
  
 PROMOÇÕES
 Busca
 Cadastre-se
 Como Anunciar
 Contato
  

   

A IMPORTÂNCIA DA VERMIFUGAÇÃO DE CÃES, FILHOTES E ADULTOS

AMICI ALERTA PARA A IMPORTÂNCIA DO USO DE VERMÍFUGOS PARA BEM-ESTAR DOS ANIMAIS E CONTROLE DE ZOONOSES

Cães, adultos e filhotes, podem transmitir doenças pelas fezes. Daí a importância de colher as fezes dos animais nos passeios diários pelas ruas e em casa. Uma medida preventiva pouco lembrada também deve ser feita pelo bem-estar dos animais e para o controle de zoonoses, a vermifugação.

Mais conhecida medida preventiva, a vacinação é essencial. Ocorre que o animal infectado com vermes pode não responder adequadamente às vacinas. A médica veterinária e gerente de produtos da Amici, Ana Lúcia Senatore Rivera diz que os principais vermes que acometem e prejudicam a saúde dos filhotes são transmitidos pela mãe no útero ou através do colostro e leite.

“Mesmo tomando sucessivas doses de vacinas, a produção dos anticorpos poderá ser menor do que a desejável, comprometendo a imunização do animal, que estará sujeito a adquirir infecções graves”, alerta Ana Lúcia.

Sintomas e tratamento – Os filhotes, dependendo do grau da infecção, podem, nos primeiros dias, não apresentar sintomas, mas logo será possível perceber a barriga estufada (abdômen distendido) e as fezes amolecidas ou diarréicas.

Outros sinais que podem indicar a verminose também são bastante comuns, como a falta de apetite, emagrecimento, vômito, fezes com sangue, anemia, tosse e sintomas de pneumonia. “Esses sinais aparecem porque a maioria dos vermes parasita o intestino dos animais, mas alguns circulam pelo corpo atingindo também os pulmões”, conta.

Ana Lúcia diz ainda que, mesmo sem mostrar sintomas, o filhote quase sempre está infectado. “Estando parasitado, tem seu crescimento comprometido e sua imunidade prejudicada, ficando mais vulnerável a todos os tipos de doenças, muitas vezes bem mais graves do que a própria verminose”.

Adotar a vermifugação como uma medida preventiva, ou seja, tratar os filhotes, antes mesmo de eles apresentarem sintomas da infecção, é a medida mais eficaz para evitar esses riscos. O ideal é minimizar a infecção pré e pós-natal, vermifugando a fêmea (antes da cobertura e junto com a primeira dose dos filhotes) e os filhotes logo após o nascimento (com 15 dias de idade). No caso dos filhotes, para garantir a desinfecção efetiva deve-se repetir a vermifugação, fazendo um programa de tratamento.

Para que o tratamento tenha sucesso é importante que ele seja feito em todos os animais que tenham contato com o filhote (outros filhotes e até animais adultos) para que eles não sejam uma fonte de reinfecção. “Animais adultos também devem ser regularmente tratados. As melhores indicações de vermifugação, adequadas para cada caso, devem ser fornecidas pelo médico veterinário que assista o animal”, ressalta.

Além da vermifugação, manter o ambiente limpo ajuda a prevenir a verminose. “Recolher as fezes em casa e durante os passeios dos animais evita a contaminação e a disseminação da doença”.

voltar...