Busca | Cadastre-se | Como Anunciar 
   
 CLASSIFICADOS
  
 Neg. & Oport.
   Empresas
   Equipamentos
   Serviços
   Outros
  
 Vagas
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Candidatos
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Cursos
  
 Vendo
  
 Doa-se
  
  
 GUIA EMPRESAS
 Adestradores
 Aquários
 Associações
 Atacadistas
 Aviculturas
 Banho e Tosa
 Canis
 Clínicas
 Consultorias
 Criadores
   Aves
   Roedores
   Reptil/Anfíbio
   Primatas
 Distribuidores
 DogSitter
 Entidades
 Fabricantes
 Gatis
 Hotéis
 Informática
 Laboratórios
 Padarias
 Passeadores
 PetShops
 Rações
 Representantes
 Serviços
 TaxiDog
  
 Lançamentos
 Reportagens
 Consultoria
 Dicas
 Veterinários
 Eventos
 Legislação
  
 Fórum
 Agility
 Raças
 Meu amigo Pet
 Pássaros
  
 PROMOÇÕES
 Busca
 Cadastre-se
 Como Anunciar
 Contato
  

   

NUTRIÇÃO PARA CÃES INFLUÊNCIA DAS PROTEÍNAS EM PEQUENOS ANIMAIS

O esqueleto serve Como uma armação e Como fonte de reservatório de íons vitais incluindo cálcio, fósforo e magnésio formando diferentes cristais localizados na matriz óssea. Dieta protéica e importante Para a formação DA matriz e ossificação endocondral. Deficiência de proteína induz a redução do crescimento esquelético. Para a manutenção DA vida, todos OS seres vivos (animais e vegetais) necessitam DA ingestão regular DA água e alimentos. Ocorre, portanto, na natureza, uma constante reciclagem dos nutrientes, que passa pela fase em que há vida e pelo ciclo final, que culmina com a morte.

Nas espécies animais, a ingestão dos alimentos que fornecem OS nutrientes e energia, na maioria dos casos, há contribuição DA água, Para que o ciclo DA vida se mantenha, ou seja, nascimento, crescimento, reprodução e produção, envelhecimento e finalmente morte.

As necessidades de nutrientes em particular diferem entre espécies, e também variam no ciclo vital de um único animal. Pôr exemplo, cães adultos exigem proteínas Para substituir aquela usada Para a manutenção do tecido e seu reparo, e também Para produzir anticorpos, hormônios, enzimas e sangue, enquanto cães em crescimento, gestação e lactação, necessitam de proteínas extras Para a produção de novos tecidos, ou leite, além de suprir as exigências do metabolismo normal.

O organismo animal não é uma unidade fechada, com uma composição fixa, mas se matem em estado contínuo de transformações, OS alimentos são ingeridos, OS nutrientes absorvidos e utilizados ou excretados. No complexo do universo DA nutrição animal, torna-se necessário conhecer as exigências nutricionais de cada espécie animal, em cada fase DA vida ou finalidade, bem Como as relações entre nutrientes, visando uma formulação adequada e balanceada de qualquer alimento.

Com toda certeza, uma das fases mais importante DA vida refere-se ao período do crescimento, período esse que difere entre as espécies animais. Pôr exemplo, enquanto um ser humano leva aproximadamente 18 anos Para se desenvolver completamente, o cão faz tudo isso em apenas 12 e 18 meses, dependendo DA raça, ou seja, as raças menores atingem a maturidade mais precocemente, enquanto que as maiores mais tardiamente.

A titulo de curiosidade, destacamos que a estimativa DA idade Para um cão pode ser feita através DA comparação com o ciclo de vida humana. Assim, o cão com um ano de vida está no mesmo estágio fisiológico de vida que o humano de 15 anos; com dois anos, no mesmo nível que o individuo de 24 anos, e cada ano sucessivo Para o animal é equivalente há quatro anos Para as pessoas. No entanto, Como já assinalei, raças grandes alcançam a maturidade mais lentamente, embora a extensão DA sua vida seja mais curta.

Esta diferença é mais evidente Para as raças caninas gigantes, quando a melhor alternativa de sua idade equivalente às pessoas é só de alcançar o primeiro ano.

O crescimento e desenvolvimento saudáveis de qualquer animal jovem, portanto, exige uma dieta balanceada, que respeite as suas necessidades diárias de todos OS nutrientes, tais Como, aminoácidos, proteínas, lipídios, gorduras, carboidratos, vitaminas, minerais, e, obviamente, água.

Qualquer problema nutricional, envolvendo desbalanceamento e déficit ou excesso de nutrientes, pode comprometer definitivamente a vida do animal, levando as conhecidas doenças relacionadas ao esqueleto ósseo, Como raquitismo osteodistrofia hipertrófica, hiperparatíreodismo nutricional secundário, etc., ou subdesenvolvimento, diarréia e problemas cutâneos (pele e pêlos), ou também obesidades, que hoje é uma das doenças nutricionais mais comuns no cão. A freqüência de sua ocorrência excede a todas as outras doenças deficitárias combinadas.

Importante é fornecer alimentos corretamente balanceados Para esse período de vida, alem de observar corretamente outras praticas de manejo, tais Como a necessidade de exercícios constantes.

A proteína inadequada (menor de 12% DA energia metabolizada) junto com o suplemento energético adequado pode causar redução no crescimento em Beagles de 6 a 25 semanas de idade. A taxa de crescimento não era restaurada quando a quantidade de proteína era aumentada Para 25%, possivelmente causadas pôr efeitos hormonais.

A ração dada a todos OS cães foi mantida, trocando carboidrato pôr proteína, a comida foi gradualmente adaptada Para OS cães, peso do corpo metabolismo, de acordo com NRC 1974 recommendation e decaiu de 1400 Para 1100 kg pôr Dia entre a 7ª e 26ª semana. Não foram encontradas diferenças entre OS grupos na clinica de desenvolvimento radiológico do esqueleto apendicular, altura do ombro, volume de célula, cálcio, plasma, fósforo, proteína total, creabinina, ou enzimas do fígado (ALAT e YGT).

Diferenças entre 14,6% e 31,8% nos grupos protéicos foram vistos no plasma albumina e uréia plasma, OS quais ambos diminuíram no grupo menos protéico. Não foram achadas diferenças entre grupo de metabolismo de cálcio, incluindo porcentagem de absorção de idade e balanço e em balanço de cálcio. Entretanto nenhuma anormalidade foi vista nos Dinamarqueses com 14,6% de quantidade de proteínas ingeridas, sendo assim considerado uma média baixa, Como revelada por albumina plasma e peso corporal.

Esses resultados devem suavizar no que diz respeito à alta entrada de proteínas em cães grandes, Como é apresentada na maioria das dietas dos filhotes. Irá causar anormalidades no crescimento esquelético. Nessa transição, a ração deve ser umidecida com água morna. Após 45 a 60 dias de idade a alimentação poderá ser sólida e oferecida em quatro refeições diárias, até três meses de idade, três refeições diárias, de quatro a seis meses e posteriormente em duas refeições diárias, deixando à ração a disposição por períodos limitados (aproximadamente 20 minutos), em horários preestabelecidos e em quantidade apropriada, sendo que qualquer tipo de suplementação deve ser evitada.

Não menos importante é fundamental destacar a necessidade de se conhecer profundamente os ingredientes utilizados no arraçoamento dos cães, no que tange a correta composição nutricional, dados que permitem a formulação correta das rações.

Cada ingrediente apresenta características particulares, tais como cor, odor, sabor e obviamente composição nutricional. Conhecer quais são os possíveis ingredientes e combinar esses dados é tarefa que requer conhecimento e um excelente laboratório de controle de qualidade visando a uma adequada formulação balanceada, além de precaver-se quanto à possibilidade da presença de toxinas e outros componentes tóxicos ou contaminantes.

No que tange a proteína dietética, destaca-se a necessidade de se utilizar ingredientes nobres, ou seja, que apresentem elevado valor biológico e alta digestibilidade intestinal. Deve-se sempre destacar que a boa ração para cães em crescimento deve suprir todas as necessidades nutricionais em quantidade e em porções adequadas. Sabendo-se que o mais importante não é a quantidade de nutrientes e sim suas qualidades, que são fornecidas pelo valor biológico de cada um. Vale sempre lembra que o Médico Veterinário deve ser procurado a cada dúvida, só ele poderá sanar todo e qualquer problema.

Heloísa Helena Amaro
Jornalista/ Ass. Imprensa
Linguagem e Comunicação & Consulvet
Fone 19 3236-5745
site www.consulvet.com.br
Revisado por: Dr. Carlos Alberto Lopes, Medico Veterinário-CRMV 4-5782.
FORUM ON SMALL ANIMAL NUTRITION
VETERINARI CLINICAL NUTRITION

voltar...