Busca | Cadastre-se | Como Anunciar 
   
 CLASSIFICADOS
  
 Neg. & Oport.
   Empresas
   Equipamentos
   Serviços
   Outros
  
 Vagas
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Candidatos
   Banho&Tosa
   Veterinária
   Comerc/Vendas
   Adm
   Canil/Pass/Hot
   Motorista
   Outros
  
 Cursos
  
 Vendo
  
 Doa-se
  
  
 GUIA EMPRESAS
 Adestradores
 Aquários
 Associações
 Atacadistas
 Aviculturas
 Banho e Tosa
 Canis
 Clínicas
 Consultorias
 Criadores
   Aves
   Roedores
   Reptil/Anfíbio
   Primatas
 Distribuidores
 DogSitter
 Entidades
 Fabricantes
 Gatis
 Hotéis
 Informática
 Laboratórios
 Padarias
 Passeadores
 PetShops
 Rações
 Representantes
 Serviços
 TaxiDog
  
 Lançamentos
 Reportagens
 Consultoria
 Dicas
 Veterinários
 Eventos
 Legislação
  
 Fórum
 Agility
 Raças
 Meu amigo Pet
 Pássaros
  
 PROMOÇÕES
 Busca
 Cadastre-se
 Como Anunciar
 Contato
  

   

MICROCHIP EM ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

Em vários Países é exigido que todos os animais de estimação / companhia sejam identificados com Microchip.

No EUA e no Canadá a identificação eletrônica é usada há muito tempo.

Em 2002 o Parlamento Europeu emitiu normativa estipulando prazo e regras para que todos os animais de estimação da Europa sejam identificados através do microchip.

Na America do Sul, há projetos para adotar o microchip principalmente na Argentina, Chile e no Brasil.

Controle sanitário, abandono, perda e roubo de animais são preocupações comuns em qualquer lugar do mundo.

O microchip, associado a um mega banco de dados com o cadastro dos animais, é uma importante ferramenta de ajuda nos diversos controles, englobando inúmeras vantagens para o Governo, universidades, associações, criadores e para a população em geral.

Quem encontrar um animal perdido, basta leva-lo a uma clinica veterinária que possua a leitora ou ao CCZ para que o proprietário seja imediatamente localizado.

Da mesma forma, se roubarem seu animal, é facilmente comprovado a propriedade.

Porém as maiores vantagens são em relação às diversas pesquisas que podem ser feitas através do banco de dados, como por exemplo, saber o tempo de vida de uma determinada raça por região ou quais as doenças mais comuns em animais de uma determinada raça, podendo ainda controlar displasia coxo-femural, doenças hereditariamente transmissíveis, surdez, monorquidismo e criptorquidismo, tendências a alergias fruto de baixa resistência orgânica, cores de pelagem e de olhos entre outras doenças, bem como controlar a vacinação através de um sistema inteligente disponível na Internet.

Existem outras tantas vantagens que não seria possível descreve-las em poucas palavras.

Microchip é um micro-circuito eletrônico constituído de um código exclusivo e inalterável e encapsulado em bio-vidro cirúrgico.

Não possui bateria, ficando inativo a maior parte do tempo.

É energizado somente quando recebe um sinal da leitora.

O menor deles, para uso animal, é do tamanho aproximando de um grão de arroz, medindo 12mmX2mm.

A aplicação é simples, feita no dorso através de uma seringa muito parecida com a que se aplica vacina, com diferença basicamente na agulha que possui um diâmetro um pouco maior.

A aplicação é indolor e não necessita sedar o animal, inclusive não sendo recomendado.

Animais com mais de 5 semanas já podem receber a identificação eletrônica.

O microchip para uso em animais, deve seguir rigorosamente os padrões internacionais das normas ISO 11784/11785, que determinam a freqüência de funcionamento de 134,2Khz e sua numeração inalterável e exclusiva, como também deve ser revestido com substância antimigratória.

Duvidas podem ser sanadas através do e-mail tecnologia@rastrear.net.

Por: Celso Fernando Dias
Diretor Operacional da Partners and Quality Technology - www.partners.inf.br.

voltar...